sábado, 25 de outubro de 2014

Sobre a mídia e seu papel de formadora de opinião pública

"Se você não cuidar, os jornais farão você odiar as pessoas que estão sendo oprimidas e amar as pessoas que estão oprimindo". Malcon X

     A eleição de 2014, para presidência da república principalmente, polarizou a população brasileira em dois lados bem definidos. Talvez algo inédito na história do Brasil. 
Corriqueiramente, o debate em defesa de certos pontos de vista lançaram mão do termo "manipulação midiática", ou "golpe da mídia" e etc. Mas o que é isso de fato? Vou tentar explicar...
    Se imagine dono de uma grande revista ou jornal. Você tem poder nas mãos, poder para promover (marketing) ou denegrir a imagem de pessoas, empresas ou instituições. Agora uma pergunta (e aqui uma resposta sincera é fundamental): Você falaria mal de sua família? Das pessoas que você gosta? Exporia por exemplo um escândalo envolvendo uma igreja ou clube que frequenta? Se a resposta for sim. Meus parabéns! Você é uma pessoa muito honesta, e provavelmente com poucos amigos. Se a resposta for não, você acabou de entender a lógica pela qual a mídia molda a opinião pública.


E a neutralidade?


Se você ainda pensa que os assuntos que viram notícia são escolhidos aleatoriamente, te convido à visitar o site Manchetômetro. Aqui é possível visualizar em números a quantidade de informação sobre cada candidato em período eleitoral nas ultimas eleições. Boas reflexões!